Resultados precisos de viscosidades com os Viscosímetros IKA

Textura, consistência, maneabilidade e fluidez são apenas alguns dos fatores que compõem o comportamento viscoso desejável de uma amostra cosmética. São, portanto, parâmetros importantes para o controlo de qualidade em todos os processos de fabricação e aplicação. A série de viscosímetros ROTAVISC da IKA permite uma medição precisa da viscosidade, para além de facilidade de uso.

Qual é a viscosidade correta de um creme?

Isso depende se, por exemplo, penetrar na pele rapidamente ou formar uma camada protetora na pele. No primeiro caso, o creme melhora a suavidade ou a elasticidade da pele; no segundo caso, ajuda na proteção contra infeções, por exemplo, no caso de uma queimadura. Em ambas as situações, o creme deverá ser espalhado de modo fácil e uniforme durante o uso.

As propriedades viscosas correspondentes aos diferentes requisitos de aplicação podem ser verificadas medindo a viscosidade em diferentes taxas de deformação (cisalhamento). Para garantir que a qualidade consistente de um creme
seja assegurada, é importante controlar a viscosidade do produto sob diferentes cargas.

Controlo de Qualidade e Monitorização da Produção com o Viscosímetro

O viscosímetro ROTAVISC IKA é adequado para a determinação rápida e confiável de parâmetros em diferentes taxas de deformação (cisalhamento) , tanto no controlo de qualidade como no laboratório de desenvolvimento. Fácil de usar, o ROTAVISC pode medir a viscosidade de todas as amostras líquidas e viscosas na rotina laboratorial diária.
Com uma precisão de ± 1% da faixa de medição e uma reprodutibilidade de ± 0,2%, o ROTAVISC atende a todos os requisitos para um controlo de qualidade confiável e uma monitorização de produção segura para toda a variedade de produtos cosméticos.

Exemplo de Aplicação em Cosméticos

  • Cremes
  • Loções
  • Tintas de Cabelo
  • Vernizes
  • Gel de Banho
  • Sabonetes

Aplicabilidade do Viscosímetro IKA

Com o acessório apropriado, todas as amostras fluidas, até as de baixa viscosidade, podem ser bem medidas e reproduzidas. Uma adaptação ao copo de medição específico do utilizador é possível, de modo que a decantação da amostra e, portanto, uma possível alteração na estrutura da amostra não seja obrigatoriamente necessária.
Devido à extensa variedade de geometrias de medição, o ROTAVISC é adequado para todos os requisitos de medição comuns e para todos os fluidos concebíveis. Pode fornecer resultados de medição relativos e absolutos.

Com o ROTAVISC e os fusos de medição correspondentes são possíveis medições em conformidade
com a norma DIN 53019, bem como medições relativas de acordo com a norma ISO 2555. A temperatura da amostra, importante para a medição da viscosidade, é detetada no Viscosímetro por um sensor PT 100, que pode ser imerso na substância.

Os métodos de medição podem ser salvos e os processos, automatizados, mesmo sem conexão a um computador. Isso permite definir tanto um programa de níveis, como de oscilações de temperatura, que podem ser executados constantemente de forma padronizada.

Controlo de Temperatura

A viscosidade de uma amostra depende sempre da sua temperatura. É por isso que a amostra deve ser sempre medida isotermicamente. O equipamento da IKA atende a esse requisito usando termostatos de imersão e criostatos que cobrem uma faixa de temperatura de -30 °C a 250 °C. Isto resulta num basto campo de aplicações para o Viscosímetro ROTAVISC, através do software de laboratório IKA para controlo dos termostatos é possível utiliza-lo para especificar oscilações de temperatura cronológicas e registrar a mudança na viscosidade.

Artigo original do nosso fornecedor IKA.

Scansci, Na Vanguarda da Tecnologia